segunda-feira, 1 de abril de 2013


Noites!!!
Noites longas, frias e sombrias
Costumam deixar opaco até nosso sonhar
Tiram o paladar, da medo até de deitar
Nuvens, temporais , trovões e vendavais
Parecem em nossa alma penetrar
Remetem o terror dos filmes de hitchcock
Daqueles que da um frio na espinha
Vontade de se agarrar em alguém
Filhos procuram suas mães e pais
Os filhotes suas crias
Namorados seus pares, mesmo que apenas por celulares
Esposas teus maridos, maridos as esposas
Os devotos seus Deuses
Os ateus seus livros, internet e outros artigos
E os descasados, os mal amados, os de casa rejeitados os desamparados
Os que parecem mais, Adams a família que as nuvens
Sempre la estão, não importa o momento o dia ou qual estação
Pra alguns desde o que resta é escrever
Para outros apenas entreter
Ah ainda os que preferem apenas comer
Que maluca brincadeira é esta dos deuses
Um dia alguém ousou a dizer
Seja la como for
Nunca nos acostumaremos
A estas tenebrosas e intermináveis noites de terror
Elieser Santos   26/02  15:40