segunda-feira, 6 de maio de 2013

Sou o que sou, negro
Não apenas sou, negro
Amo o que sou, negro
Luto pelo que sou, negro
Fui contemplado quando ele
O Divino, negro me determinou
Fui abençoa sim afinal nada acontece do acaso
Por isso sei que ser negro é obra de arte
E nunca da parte de Deus foi maldade
Sou isso mesmo, sou assim mesmo
Negro na alma, na pele e por amor

Elieser Santos