quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Identidade

Identidade

Como construir minha identidade ??
Onde deixei de existir ?
Porque  me maltrataram ?
Porque querem tudo por eu decidir e determinar ?
Demarcar minha pele ?
Vender meu esforço?
Cambiar, eu alguém por algo ?
Qual o caminho se não
O que eu mesmo faço?
Passo a passo, lentos e não largos
Mas constante, de firme compasso
Por muitos, desde sempre, ignorados
Deixando rastro de suor, lágrimas e sangue
Pelas constantes batalhas travadas
Para se ter o direito a vida e liberdade
Batalhas por eu, por nós negros
Pretos guerreiros
Homens de cor, no entanto sempre incolor
Transparentes quase sempre e não por um mero acaso
Inexistentes desde quanto de lá seqüestrados
E que identidade me deram ?
A que foi construída e constituída
Como número de B.O, IML ou xilindró
Sem culpa, 
De crime tipificado, pelo tom da pele
Condenado pelo grande e poderoso juiz
O “preconceito” no Brasil enraizado
Minha identidade verdadeira pode vir
Quando eu e o outro formos educados
A enxergar  o ser um, no outro
O ser gente, o ser sujeito de direitos
No artigo 5º descrito desde 1988
Como garantias
Do, eu ser humano, como conquistados.    


Elieser Santos  20/11/13