sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Escrever

Gosto de escrever e falar  sobre tudo
Coisas sérias, bobagens
Futilidades e genialidades
Verdades e mentiras poéticas
Desafiando as regras de escritas e rimas
Que por vezes são só controvérsias
Escrever faz bem ao eu ego e ao coração
Escrever, expor, extrapolar os limites
Da alma, do pra’além da imaginação
É tudo e sempre muito bom
A os que dizem que, a cada verbo
Frase e sentença deixada
É como um gerar filhos
Podendo ser eles bons, bonzinhos
Maldosos, nerds,
Estranho e até esquisitos
Um filho que, vida própria tem
E sempre a terá
Escrever pode as vezes aguçar
A imaginação, com os
Porquês, Por quê, porque, por que?
Como? Onde? Quando?
Verdade é, ou apenas ilusão
Sentimento será? ou técnica de comoção
Alguns sentem medo quando nas letras
De outros se vêem
Outros alegria e felicidade
Eu porém destilo pensamentos
Seja rebuscado, rascunhado ou apenas rabiscando
Posso me enxergar no que escrevo
Alias só escrevo o que tenho e sou
Por isso sigo a vida mesmo com dores
Mas caminhando, escrevendo e compondo
Seguindo a rítmica do coração
Letras que ressoam como ecos na mente
Despejada no papel em forma de criação
Gosto de escrever seja lá o que for
Gosto de ser assim independente
De boas ou más interpretação


Elieser Santos 22/11/13