quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

N 3

Nº 3

Gosto dessa imprecisão da vida
Gosto dos imprevistos
Das surpresas,, desse não saber
Do; o que o amanha nos trará?
Da expectativa do dia seguinte que esta por vir
Até mesmo os próximos segundos do futuro
O que será? como será ? com quem será ?
Será alegre, triste ? será bom ou ruim ?
Como será ?
Alguém nascerá com certeza
Mas quem morrerá com certeza?
Alias essa é a única certeza do futuro humano
Certeza da vida e da morte
Novos amigos vão surgindo
E ao longo do caminho se vão
Alguns velhos amigos sempre estarão
Outros o futuro nós fará rever
O futuro.. ah!! o futuro ...
É sonho de todos nós
Porém pode nos dar medo
O novo é assim, tão sonhado e tão tenebroso
Gostoso ...
O amanha é isso representa  expectativas medos e esperança
Viver é ser todas as ciências não exatas
Deve ser por isso que ela, a vida, não é tão chata
E nem o pode ser, ou pode, se assim se escolher
Não é um nada, ou um absoluta fechado
É plural, é estéreo, são duas vias e vários caminhos
Simples, complexa, pouca e muito, sem ou com excesso
Por isso, não precisa, de tão irregular que é
Vida...  viver é tese e antítese
Viver é isso, é um poço de tudo isso,
Um pouco mais ou um pouco menos
É uma sã loucura
Vida é amor e paixão
Esperança e desilusão
É cair e levantar
É apaixonante em todas das dimensões
É água, terra, fogo e ar
É respirar e procriar
Novas vidas gerar
Para sempre, sempre enquanto durar, o ciclo não acabará ...
E novamente perguntar
Como o futuro será ?


Elieser Santos    23/01/2014