sexta-feira, 18 de julho de 2014

Turbulência



Hoje vou apenas rabiscar o papel
Com lápis, canetas ou pincel
Não estou afim de escrever nada
De nada compor, sobre nada falar
Não to sentindo nada
Nem amor nem ódio
Nem frio nem calor
Não enxergando nada 
Colorido ou incolor 
Hoje não sou teu nem ateu
Nem meu nem seu nem de ninguém
Nem alegre nem triste 
Nem nem ....
Nem bem nem mal...
Não falarei não escreverei
Não pintarei não cantarei
Não dançarei não chorarei
Não sorrirei ... 
Ah também não apagarei
Não usarei borracha...
Nem branquinho ...
Nem backspace 
Não usarei as mãos para escrever
Nem os pés para andar
Muito menos a boca para falar
Vigiarei de vivo...
Só o olhos estarão sempre abertos
Para ver no que vai dar
Para observar e desvelar o que ainda não sei
Hoje serei eu mesmo meu próprio rei ...
Serei eu também meu súdito
Serei o rico e o pobre 
Sei lá como serei se tudo isso for  verdade ...
Se a mentira for verdadeira
Se a medida for certeira ...
Se na verdade nada for
E se eu não for
Ah!!  
Hoje apenas isso..

Isso é o que temos  apenas pra hoje....

Elieser  Santos  18/07/14