sábado, 3 de janeiro de 2015

...



Ah!!.. Dizem que homem não chora

Pura mentira, falácia e ledo engano

Cá estou em prantos, olhos inchados

Confuso com tudo, e sentindo aquela dor no peito

Aquela que só sente quem ama, de quem acredita

De quem acreditou que,

Que poderia ser sim,

Que poderia dar certo,

Que era por certo,

Que reencontrou o amor,

Quem fez e planejou,

Quem até ao ano novo adentrou sonhando

E agora me vejo, assim no espelho que você me deu

Pois é em prantos, e a ti apenas confessando

Que doeu, doeu ouvir, ou algo que se leu

Foi como pontadas de espada bem afiada

Penetrando o peito até chegar ao coração

Transpassando e transformando

Sonho em ilusão sonho em pesadelo

Lembranças que o doce mel de tua voz destilava

Por alguns instantes em meu paladar tornou se fel

Até tentei amenizar a dor ouvindo nossas músicas de amor

Aquelas que até então faziam nos lembrar de nossos bons momentos

Mas o som e ecoou foram de grilhões, trancas, fechaduras

Como quem segue agora rumo cela solitária

Desejando que do tal juiz destino aceite a apelação,

De um agora pobre e dilacerado coração

Que pecou, por apenas amar

Que seu delito foi, querer, acreditar, desejar e,

Por isso lutar...

Bem quem sabe num bem próximo amanha

Eu disso tudo venha a acordar e,

Perceber que esta infinita noite passou

Pois vivo para sempre e para ti estaremos

Eu e o meu amor




Elieser Santos 03/01/15