sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Nem pensar


As vezes e por alguns motivos
Tento te esquecer e até ficar com raiva de você
Não te chamar, não te ligar, fingir não me importar
Ignorar tua falta, fala, sorriso, suspiro e tudo mais
Mas você é tipo o ar,
Onde quer que eu vá, mesmo sem te ver sinto você
E assim como ele, esta se tornando cada dia, cada vez mais necessária
Um algo tipo assim, sem ti não conseguirei viver
Até onde menos se espera percebo você
Hoje quando em casa ligo a TV, para jornal ver
E ai, o repórter começa a falar de musas do tipo que
Fez e faz poetas escrever, cantores cantarem, corações  acelerarem
Logo pensei musa assim com todo este poder para eu
Só existe você...
Aí, já se foi  a tal raiva, nem me lembro mais porque triste fiquei
Me pego com o sentimento de flagelo  sabendo que pequei
Pequei, por tentar me enganar e ousar tentar te esquecer
Sorte a minha é que pena de morte não peguei
E sei que posso logo, logo ter você aqui pertinho
Pertinho de mim outra vez


Elieser Santos 03/01/15