quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Quem me ensinou a viver ...


Pois eu recebi do Senhor o que também vos entreguei:

Este fragmento da passagem bíblica, sempre me chamou muito a atenção e acho que a cada dia e cada ano tem tomado mais significante.


Gosto de pensar que para nós leigos esta passagem foi traduzida ou transliterada seguinte forma:

Inacreditável, mas seu filho me imita (Racionais Mc’s; Negro Drama).

Ou ainda:

Tem mais de mil muleque aí querendo ser eu
Imitando o que eu faço, "tio, se eu errar fudeu!”, (Emicida; Trinfo)

Penso sempre que, quer queria, quer não, nossa história de vida nunca é nula, nem para nós, nem aos que nos cercam direta ou indiretamente,
Sempre há um efeito, há um algo que deixamos, para um alguém, seja por influência, conseqüência ou coincidência.

Vale muito apena refletirmos nisso...

Qual nosso papel social, o que recebemos o que estamos repassando, quem esta nos imitando, quantos moleques estão querendo ser eu?

E se eu fraquejar?

Se o que eu passo é pra vida dele piorar?

E da parte do senhor, mesmo sem religiosizar?

Pois é...

Por mais que recusemos dizer ou admitir, por mais que soe pejorativo acredito eu que de certa forma,e maneira, todos somos tão influenciadores como influenciáveis...

Isso não significar ir pela cabeça do outro, formadores de opinião eu diria, definição que melhor se enquadraria.

Paremos então e pensemos...

Afinal só posso dar o que tenho, só posso ser o que aprendi a ser.

Elieser Santos ...31/12/14