quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Vulnerabilidade


É impressionante como somos voláteis e vulneráveis
Como somos ambíguos, confusos, sentimentais e emocionais
Dependendo do momento e do sentido de tal coisa ou caso
Dependendo do grau de importância, agiremos de modo diferente
Em um dia de uma forma em outro dia de outra forma
Somo capazes de encher nosso face de versos cristãos
De falar de justiça, de paz, de amor do cristo redentor
Mas somos capazes de cometer tantas injustiças, fazer guerra
Propagar o ódio desmerecendo ao Deus criador
Se amo, até então de mim terá tudo de bom
Mas se odeio.. ah ai ..
Somos capazes de lançar todo tipo de maldição
Se for da minha religião, se segue a minha verdade, se me diz amém
Amigos para sempre vou bradar e dizer
Mas se não for, inimigo moral passar ser
Defendemos o menor delituoso conclamamos seus direitos
Deste que este seja, amigo, parente e meu companheiro
Mas se for desconhecido, será mais um marginalzinho
Pena de morte é o que pediremos e insistindo
Somos assim, ou mais ou menos assim
Mas ai você vai me dizer: não, eu não
Que isso jamais, disso eu seria capaz
É também somo assim, uma dificuldade tremenda
Em perceber o quão mau somos, o quanto ruins somos
Enxergamos com facilidade isso no outro
No terceiro, no parceiro, mas em nós mesmos nunca
Para nós mesmo nunca somos ou seremos culpados
Quando no pegamos em algum delito
Foi só engano, foi deslize, sem querer, obra do demo, vontade de Deus ...
Infelizmente assim é e assim sempre vai ser
O rico fazendo de tudo até sem escrúpulos para pobre não ser
O pobre justificando a violência cometer, pra ajustar a justiça
A vontade de rico ser, de poder ter, custe o que custar
Desde que a vitima fatal seja o outro, ou eu ou você
É e assim caminha a humanidade ...
Desde o inicio caminhando para traz
Sendo fugaz, bárbaros, carrascos e muito mais
Mais vixi tem muito mais...
Sorte minha e de você, sorte nossa é que
Algo de bom e do bem, ainda temos, e ainda da tempo
Para algo tentar fazer.. sei la como, sei que com
Força, fé, coragem e boa vontade
Sairemos dessa deriva de nossas emoções
E racionalmente usarmos toda nossa razão
Olhar um o outro como irmão
E fazer a ele o que ele fará por mim
Seja o Zé, a Maria ou João
Pode ser o Negro sorriso, ou o Rei Pelé
Rainha Thatcher ou o menino na mina de carvão


Elieser Santos 27/12/14