segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Negras Rainhas, Rainhas Negras

És rainha e não por simples status, és de fato
És rainha mesmo que uns lhe neguem a coroa
Com histórias e coisas do passado
Passado roubado, deturpado e adulterado
És rainha sim, afinal traz isso na pele,
No olhar, na mente, coração e determinação
És rainha sim e não do tipo sangue azul,
És mais que isso, mais que padrões por eles definidos
És rainha de sangue vermelho, sim vermelho sim
Do tipo que deixa boas marcas por onde passas
Sangue de cor de vida, que traz raízes de onde foi trazida
E mesmo para cá conduzida na base da humilhação sobreviveu
Trouxe no reinado no coração, com muita dor e até rancor
A majestade que és, a rainha que és, a soberana que és
Por vezes servindo de objeto a um nojento desafeto
Por outras a pele ferida rasgada e no rosto cuspido
És rainha, e por nós agora reconhecida e honrada
Mesmo que até por nós durante anos ignoradas
Hoje e sempre, por mim e por todos serás honrada,
És mulher negra, rainha de alma, corpo, mente e coração
És rainha não apenas lá no continente
Onde estiver assim será e sempre
Rainha, mãe da gente, geradoras de gente
Deusa do ébano devolvo lhe tua coroa
Teu cedro, teu trono, teu turbante
E peço lhe a benção, seja para:
De ti  falar, te elogiar, cortejar-te, enamorar e matrimoniar
Assim é e assim sempre serás mulher negra
Este é o teu eterno lugar tua única posição, o de rainha
E Rainha tu sempre serás.

Elieser Santos 02/02/15