sexta-feira, 26 de junho de 2015

Muito além ...

Não, realmente não sei, ou se não deveria
Mas é inevitável, inevitável ver e fingir não enxergar
Ou perceber e fazer de conta que nada foi, que nada é ou será
A conjunção da imagem por si só diz quase tudo
A coloração do mar, o azul do céu, o cinza dos rochedos
O sol, o horizonte, o vento e a brisa ao soprar
As águas com sua força e seu poder, do ser e estar
Força e energia, que nos envolvem ao nos seduzir
O céu com seu magnífico e infinito bem estar,
Sustentando no tudo e no nada a majestosa estrala solar
Estrelas de todas as grandezas e o charmoso luar
Luar que impera e ornamenta o manto negro celestial
Que inspira canções, e os mais belos versos de amor
Em meio a isso tudo, nesta tal atmosfera surge eu e você
Uma imagem linda de se ver, e um sentimento difícil de descrever
Sim, o casal que contempla a obra da natureza acrescendo a esta mais beleza
Duas pessoas negras, de alma e coração, vestidos de branco como representação
Almas gêmeas, entrelaçadas com a formular, amar
Envoltas ao majestoso mar, ao glorioso céu e sobre os rochedos
Em que sustentam firmes os pés e calçados na comunhão e a cumplicidade
Onde o porto seguro um do outro é a fidelidade a liberdade e o confiar
Este é meu elogio para nós, que assim, até hoje nos sustentamos
Desde o dia em que nos entreolhamos ...
Onde uma ao outro repartimos e trocamos a semente do amor
Que hoje é uma arvore frondosa e que brota como fruto
O amar


Elieser santos 26/06/15