quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Desatou

Era como um nó o que nos unia
Firme, forte, seguro e consistente
Mas infelizmente não sei como
Como um fitilho frágil
Como um laço desatou
Não sei se coisa do destino
Ou se forjamos esse desalinho
Um castelo lindo e tão perfeito
Se transformar em ruína e pesadelo
Como que de areia desabar, desmoronar
Talvez tenha nos faltado firmes fundamentos
Afinal, nem tudo é apenas o que vemos
Principalmente quando visto e observado
Apenas pelo coração, só com a emoção
Castelos fortes, liga, aliança e união
Só permanece quando há razão
Razão de ser
Razão de ter
Razão pela qual todos os dias
Digamos um para o outro
Amo você...

Elieser Santos