segunda-feira, 25 de julho de 2016

Elas

Não andas, flutuas
Teu caminhar é sempre um desfilar
Poderosamente e empoderada
Outrora por olhos e desejos alheios e indignos
Desprezadas e esquecidas,
Desencorajadas e desiludidas
Mas hoje por nós e por muitos no mundo reconhecidas
Embora ainda de forma e de maneira tímida
Mas todas às vezes com muita guarra
Com luta e ousadia
Mulher negra que nunca parou de caminhar
Rumo ao seu devido lugar
Hoje mais uma vez merece de pé e em pé nossos aplausos
Merece reverência
Merece aliás não só por hoje
Merece que nos engajemos
Na mesma luta
Na mesma labuta, e
No mesmo lidar
Chega de pensar que mulher negra
São musas para satisfazer um certo paladar
É beleza imposta porque assim o é
Mas muito mais que mera beleza
Pois assim também o é
Mulher negra parabéns por ser e assim se apresentar
E nos representar porque assim o és.







Elieser Santos