sábado, 8 de abril de 2017

Profissão perigo




Como é revoltante, frustrante, preocupante, massacrante, triste, tenebroso esta sensação
A sensação da morte presente todos os dias, em todas as horas ...
Na entrada ou saída dos plantões até mesmo nos dias da folga
Cá ela está, mais viva e próxima que nunca ...
A maldita morte
É assim o tempo todo ...
É assim o ano todo ...
Seja velando, velando..., preservando, noticiando
Sempre tomados com sentimentos de pesares nos abraçando
Chorando nos lamentando e nos perguntado
Porque?, porque é assim?, porque tem que ser assim?
Volta e meia recebo a má noticia
Ei irmão ... seu parceiro se foi
Foi alvejado nosso irmão
Logo não resistiu e ... o corpo está sendo obturado
Este ano ... como tantos outros já começou assim ....
São Paulo primeiro de janeiro de 2017 ..nosso irmão por nome e por sorte Valente
Foi alvejado ... graças a boa sorte foi socorrido ..
Resistindo bravo a valentemente não foi sepultado
Eita cotidiano pesado ..
Eita local frequentado o tal cemitério
Eita que total descaso
Homens e mulheres cumpridores da lei e da ordem
São quase sempre e totalmente
Por ela desassistidos, esquecidos e desamparados
Eita que aperto no coração ...
Pois acabo de ver nos noticiário
Que mais um, mais um soldado foi tombado
Que caso isolado que nada ...
É guerra e extermínio declarado ..
E o tal culpado alguns vão dizer: era apenas um pobre coitado ..
Ou como aquela senhora repetir: antes eles, que chore a mãe deles, Mas que não chore a família do mal intencionado
Que se desampare os filhos desses
Mas que não se esqueça o Estado da gratificação ...
Daqueles que por culpa e dolo já foram, transitado em julgado culpado
Fico aqui cabisbaixo pensando ...
Se amanhã eu acordar ...
Quem de nós poderá ser o próximo?
Meu parceiro? Eu mesmo?
Será alguém da minha turma?
Da minha base ou do meu pelotão?
Infelizmente é assim que é...
Perturbadoramente é assim que é...
Honestamente assim não deveria ser
Humanamente assim não poderia ser nem ficar ...
Meus sentimentos aos irmãos guerreiros que se foram
Minhas orações e preces para nós, que aqui vivos ainda estamos
Psicologicamente destruídos ... mas de pé
Porque guerreiros somos

Elieser Santos ... escrito após receber a noticiada morte do irmão Claudinei Mendes Faria